Prefeitura do Natal

Mensagem Anual do prefeito Álvaro Dias para abertura 19ª Legislatura da Câmara Municipal de Natal

Mensagem Anual do prefeito Álvaro Dias para abertura 19ª Legislatura da Câmara Municipal de Natal
Crédito da imagem: Joana Lima

Senhoras vereadoras, senhores vereadores:

 

Tenho a honra, nesta sessão especial, de apresentar nosso plano de metas para 2021, a primeira mensagem anual do segundo mandato, que traz a marca inapagável da aprovação do povo pela expressiva vitória nas urnas.

 

Há um pensamento do grande poeta Vinícius de Morais que diz: “O ser de humanidade plena é um ser imperfeito. Tem virtudes e defeitos. No homem comprometido com os bons propósitos, as virtudes diluem os defeitos. Porque nesse homem há o mais sagrado dos patrimônios: a emoção”. E é a emoção que me impulsiona nesse momento, quando ajudamos a demarcar o tempo da história recente de Natal como parte integrante da mesma.

 

Protagonizamos recentemente, um embate político vitorioso, quando conseguimos uma das maiores votações dessa cidade, sendo reeleito no primeiro turno, com mais que o dobro da votação obtida pelos outros treze candidatos a prefeito. E quando uma expressiva maioria, duas vezes maior que a soma de todos os adversários, salta das urnas e transforma-se no gesto e na voz de uma cidade quase inteira, o sentimento não é de vitória, mas de um peso grandioso sobre os ombros. Lembrando Mahatma Ghandi: ”Se queremos progredir, não devemos repetir a história, mas fazer uma nova história”. E é essa nova história que o povo tenta nos ajudar a construir com o resultado dessa eleição.

 

A emoção da vitória e a emoção de conduzir pela segunda vez e por um mandato inteiro, Natal, a praieira dos inigualáveis versos de Otoniel Menezes, se somam e se confundem nesse momento. Agora, nesse tempo que se chama futuro, apenas uma certeza a vislumbrar no horizonte: a de saber que enfrentaremos dificuldades. Com mais outra certeza, que vamos fazer tudo que for possível para vencê-las. A disposição de superá-las vem da certeza que Deus e o povo nos abençoarão nessa luta. Por isso, vamos em frente, vamos prosseguir, fazendo de cada instante, o passo firme de mais uma luta a ser vencida.

 

Nos últimos meses, esta é a terceira vez que mantemos um encontro oficial como este, dividindo responsabilidades e assumindo compromissos com a cidade de Natal e a população. Voltar a esta Casa de Frei Miguelinho é um motivo de satisfação, muito além do que apenas cumprir o dever constitucional de prestar contas à sociedade e dar transparência sobre como estão sendo administrados os recursos arrecadados de cada um de nós. O Poder Legislativo é o local legítimo para essa manifestação, sobre o que foi feito no pretérito e para acompanhar o desenvolvimento das políticas públicas, traçadas para o futuro da cidade.

 

Estamos iniciando um novo mandato à frente da Prefeitura Municipal do Natal, com a vontade, a capacidade de trabalho e a disposição redobradas, em fazer ainda mais por esta cidade e, portanto, mais do que prestar contas do que foi feito, quero aproveitar esse momento para um chamamento à união de todos, em torno de projetos e ações para os próximos quatro anos.

 

Queremos fazer uma cidade que seja mais humana, mais saudável, mais inclusiva e com mais desenvolvimento, gerando empregos e oportunidades para nossa gente com sua inegável capacidade de trabalho e vocação empreendedora. Mais como dizia Vinícius de Morais, “A vida é a arte do encontro”. E o local desses encontros devem ser invariavelmente, as cidades. Ruas para pedestres, praças agradáveis, locais para caminhadas, parques com árvores, espaços saudáveis e áreas de convivência harmônica, têm de ser projetados e construídos como locais de sustentabilidade, promovendo a integração da natureza com o urbano, tornando mais leve e natural a vida na cidade.

 

Como afirma o arquiteto dinamarquês, Jan Gehl, no livro “Cidades para pessoas”, as cidades têm de ser pensadas e projetadas para pessoas, não para automóveis. Ele analisou e enfatizou a realidade dura das cidades atualmente, se somando a escritora americana Jane Jacobs que também abordou o assunto em Morte e Vida das Grandes Cidades, assinalando como a ideologia urbanística em voga, favorecendo o dramático aumento do fluxo de automóveis, poderia por fim ao espaço urbano e a vida das cidades, resultando em cidades sem vida, esvaziadas, sem pessoas.

Com essa ideologia por muito tempo utilizada e recentemente combatida por Jan Gehl e Jane Jacobs, as cidades aumentaram o trânsito, priorizando o tráfego e esquecendo os pedestres e as pessoas. No seu livro, Gehl prega que as cidades podem ser melhores se forem projetadas para aqueles que as criaram: as pessoas. Dessa forma, não poupa críticas ao estado atual, que queremos e vamos mudar: “Uma característica comum de quase todas as cidades – independente de localização, economia e grau de desenvolvimento – é que as pessoas que ainda utilizam o espaço da cidade são cada vez mais maltratadas. Espaço limitado, obstáculos, ruídos, poluição, riscos de acidente e condições geralmente vergonhosas são comuns para os habitantes da maioria das cidades do mundo”. Temos de mudar e vamos mudar essa realidade em Natal, para tanto, encontram-se em andamento muitos projetos nesse sentido.

 

Estamos priorizando essa questão e para que isso possa acontecer o mais breve possível, criamos locais de encontro e convivência para bate papo, diversão e troca de ideias como o Beco da Lama, o Espaço Rui Pereira, a Avenida Praia de Ponta Negra e muitos outros locais e praças que estamos reformando como o Bosque das Mangueiras em Lagoa Nova, a Praça das Flores em Petrópolis, Praça Vovó Gurgelita no Conjunto Wilma de Faria, Praça Marcílio Dias no bairro Nordeste, Praça do Disco Voador em Ponta Negra, Praça Ney Aranha Marinho em Petrópolis, Praça Francisco Roberto, em Felipe Camarão e Praça São Vicente de Paula em Igapó, que vão permitir um novo tipo de lazer e a integração da vida e da saúde com o urbanismo.

 

O ano passado foi marcado em todo o mundo pela pandemia. O assunto tomou conta das preocupações das pessoas e acabou ofuscando muitas outras realizações e avanços importantes obtidos. Não esperava que nos dois curtos anos de mandato, tivesse que enfrentar como médico e como prefeito, uma pandemia espalhando horror e medo, pavor e morte.

 

Sou médico, como sabem. Tenho a noção biológica e espiritual da vida humana como patrimônio de cada ser humano. Conheço muito de perto os sinais da vida e da morte. Jurei com as palavras de Hipocrates a defesa da vida com a absoluta determinação, mais também consciente dos limites da ciência.

 

Fui, sem nunca desejar, o prefeito da pandemia e posso dizer, banhado do sentimento do dever cumprido, que abracei com coragem essa missão, como médico e como prefeito. Sabia muito bem do combate sem trégua que nos aguardava, nas ruas, nos becos, nas praças, nos edifícios e nas favelas. O inimigo silencioso e mortal que espreitava o povo, o mesmo que confiara a mim não a obrigação de vencê-lo, o que só a ciência é capaz, mas de enfrenta-lo onde se apresentasse. Não estou aqui para comemorar o desempenho da prefeitura. Esse, todos sabem. Viram. Acompanharam. Estou para dizer, como na canção, que faria tudo outra vez, como estou fazendo.

 

Fiz o que deveria fazer: colocar todos os instrumentos de luta nas trincheiras, cuidando dos abrigos e do acolhimento de quem chegava, sem perguntar quem era ou de onde vinha. Esse foi o grande desafio do ano que passou. E mesmo com a vacina, que vai chegando aos poucos, de vários lugares do mundo, a luta não tem sido menor e nem será mais fácil até que cesse o pavor e os danos coletivos que esse vírus traiçoeiro tem nos proporcionado e que nos ameaça todos os dias.

 

Feitas essas considerações, minhas senhoras e meus senhores, quero dizer que sei que os tempos são incertos. As tormentas se projetam no horizonte, mas trago comigo a esperança, a coragem e a vontade de vencer.

 

Esperança em dias melhores que se vislumbram com a vacinação contra o coronavírus e a consequente volta à normalidade nas nossas relações pessoais e comerciais.

 

  1. não uma esperança vã. Não uma esperança cega. A esperança no sentido que o filosofo Aristóteles atribuiu a ela quando definiu que “A Esperança é o sonho do homem acordado”.

 

E muitas vezes eu sonho acordado. Sonho acordado com que a evolução tecnológica e a ciência possam desenvolver imunizantes cada vez mais precisos e eficientes para evitar que as pessoas adoeçam e em quantidade suficiente para uma vacinação em massa de bilhões de pessoas no mundo.

 

Sonho acordado e atento para a nossa missão como gestores públicos de fazer essa imunização chegar ao maior número de pessoas no menor espaço de tempo possível. Começamos esse trabalho de forma muito organizada e estruturada, utilizando o sistema drive-thru que dá mais segurança, evitando aglomerações e desafogando as unidades de saúde, e estamos definindo os grupos prioritários na medida em que mais doses são disponibilizadas. Todas as doses do primeiro lote de vacinas entregues pelo Ministério da Saúde foram aplicadas em profissionais de saúde e em idosos institucionalizados. Com isso atingimos a praticamente 3% da população e estamos com toda estrutura pronta para seguir esse trabalho tão logo novas doses forem chegando.

 

Começo essa mensagem falando sobre esse tema porque não há nada mais urgente em Natal, no Brasil e no mundo do que o combate à pandemia.

 

A chegada e disseminação de um ser vivo, invisível ao olho humano, capaz de causar tamanho estrago em todo o mundo globalizado, ceifar milhares de vidas, desorganizando a economia, estressando sistemas de saúde, foi e ainda é a maior preocupação de todos e de cada um de nós. Um vírus que levou a mudanças culturais, estruturais, de comportamento, no mercado de trabalho e, como não poderia ser diferente, provocando os gestores públicos a darem as respostas que a sociedade precisa e espera.

 

Em Natal, nossa gestão está fazendo a sua parte. Desde o início trabalhamos em diversas frentes para enfrentar esse desafio. Tomamos medidas que estão nos permitindo minimizar as perdas de vidas humanas, embora muitas tenham sido as vítimas dessa guerra que travamos contra o coronavírus.

 

Para vocês terem ideia do tamanho do desafio, nós gastamos até agora mais de 113 milhões de reais entre recursos federais e recursos próprios, nas diversas ações de enfrentamento da pandemia e seus efeitos, com total transparência sobre a aplicação desses recursos. A Transparência Internacional Brasil apontou Natal como a segunda capital do Nordeste mais bem avaliada no ranking de transparência nas ações e aplicação dos recursos emergenciais. Natal conseguiu pontuação máxima no sistema Confúcio do Ministério Público do Rio Grande do Norte.

 

Parte desses recursos foi utilizada numa ação fundamental para salvar vidas de milhares de natalenses. Conseguimos junto à Justiça do Trabalho um hotel desativado na Via Costeira para lá instalar um Hospital de Campanha com capacidade para 120 leitos, sendo 20 de UTI. Ainda hoje mantemos esse hospital funcionando. Mesmo quando houve uma queda acentuada da procura, não o desativamos, inclusive com uma usina de oxigênio instalada com capacidade superior à demanda atual. Agora no mês de janeiro, tivemos a condição de receber irmãos nossos vindos do Estado do Amazonas, onde o sistema colapsou, para que sejam atendidos da melhor forma com profissionais e equipamentos adequados na missão precípua de salvar vidas, a grande maioria já recebeu alta e voltou para sua terra.

 

É motivo de satisfação pessoal para mim, como prefeito e como médico, saber que uma iniciativa como essa já resultou em mais de mil vidas salvas em nossa cidade nesses oito meses de funcionamento. Não há nada mais gratificante do que isso na vida do homem público.

 

A força de trabalho que compõe a Secretaria de Saúde de Natal saltou para 7.162 servidores. Foram 215 concursados contratados e outras 982 vagas temporárias preenchidas através de Processo Seletivo Simplificado. Por dia, são 450 funcionários atendendo no Hospital de Campanha entre médicos, enfermeiros, bioquímicos, fisioterapeutas, assistentes sociais, técnicos, enfim, uma estrutura hospitalar completa com tomógrafo de última geração, respiradores, monitores cardíacos, bombas de infusão, estrutura para hemodiálise, etc.

 

É importante lembrar que não foi apenas o Hospital de Campanha que atuou no combate à Covid 19. Recebemos também pacientes Covid no Hospital Municipal. As UPAs, no período de pico da doença, estiveram com sua capacidade de atendimento acima do máximo, mas não fechamos as portas, nem deixamos ninguém sem assistência. Reforçamos o SAMU e graças a equipes de trabalhadores e trabalhadoras da saúde dedicados, esforçados e que têm o senso da responsabilidade que lhes compete, conseguimos atender a mais de 1.500 pacientes Covid internados na rede municipal. Foram milhares de vidas salvas por esse trabalho coletivo que obteve o reconhecimento da população de Natal.

 

Também implantamos e ainda mantemos em funcionamento os três Centros de Atendimento à Covid-19 no Palácio dos Esportes, Ginásio Nélio Dias e Cemure. Lá, os casos suspeitos são submetidos a triagem, passam pelo atendimento médico, realizam os testes quando há recomendação médica e já saem com o kit de medicamentos adotados pelo protocolo aprovado no Conselho Regional de Medicina e pelo Comitê Científico Municipal que instituímos e que presta um inestimável serviço a Natal a partir da adoção do tratamento precoce que, não tenho dúvidas, tem ajudado muito a evitar que os casos leves evoluam para a fase de agudização da doença.

 

Implantamos sala de priorização de atendimento em todas as unidades básicas de saúde e em 10 delas foi estabelecido horário estendido para melhor atender a demanda. Aliás, é preciso ressaltar o excelente trabalho que foi desenvolvido por toda a equipe na assistência básica. Não só nas Unidades de Saúde como no atendimento em postos criados para isso.

 

Um exemplo foi a realização de mais de 80 mil testes de Covid, através do sistema de drive-thru ou nos pontos fixos, realizados ao longo desse período para detectar a doença, começar o tratamento precoce e procurar isolar os indivíduos contaminados, graças a um sistema de monitoramento de pacientes, no qual um funcionário da Unidade ligava para o paciente para acompanhar a evolução do quadro clínico e, em caso de necessidade, sugerir novas intervenções. Além de estimular o isolamento dos pacientes infectados.

 

Para o transporte dos pacientes, foram locadas mais seis ambulâncias para o SAMU, o que nos permitiu disponibilizar veículos exclusivos para urgências da Covid e ampliamos o funcionamento do Serviço de Transporte Sanitário para 24 horas.

 

Minhas senhoras, meus senhores,

 

Editamos decretos estabelecendo normas de segurança sanitária para as diversas atividades comerciais. Trabalhamos a prevenção de forma coordenada por diversas secretarias que envolveram desde campanhas educativas sobre a necessidade do uso de máscaras, álcool na higienização das mãos e de se manter o distanciamento social, nas quais investimos mais de 3 milhões de reais, até a desinfecção de paradas, estações e de veículos usados no transporte coletivo.

 

Distribuímos mais de 35 mil cestas básicas compradas com recursos próprios ou arrecadadas graças ao apoio da sociedade para pessoas em situação de vulnerabilidade, muitas delas de categorias profissionais que ficaram sem ter de onde tirar o pão de cada dia, como ambulantes, artistas e pessoas que trabalham com produção de eventos, circenses, entre tantos outros.

 

Nesse período em que as escolas ficaram fechadas, foram distribuídas outras 120 mil cestas básicas, duas para cada aluno da rede. Também desenvolvemos um trabalho coordenado na distribuição de 20 mil máscaras com a população, na organização de filas para o recebimento do auxílio emergencial, na fiscalização do cumprimento dos decretos e no apoio às pessoas em situação de rua com a instalação de quatro abrigos provisórios 24 horas em escolas municipais ou em parceria com entidades da sociedade civil. O Centro Pop que atende a população de rua mudou para um espaço mais adequado com toda a estrutura de informática, banheiros e alimentação para as pessoas nessa situação.

 

Outras ações importantes nesse momento na área social que posso citar aqui foram o fornecimento de aproximadamente 205 mil porções de sopa e pão pelo Programa de Segurança Alimentar, beneficiando uma média de 1.700 famílias. Bem como a abertura de um Centro de Acolhida e Referência para Refugiados, Apátridas e Migrantes, um gesto humanitário de acolhida dessa população que tanto sofre ao deixar seus lares por motivos variados.

 

Pela impossibilidade de juntar pessoas num mesmo espaço, a área cultural foi uma das que mais sofreu no ano passado. Uma atividade que também tem uma importância econômica dentro do que ficou conhecido como economia criativa. Para esse público, veio em boa hora a aprovação pelo Congresso Nacional e pelo governo federal da Lei Aldir Blanc. De complexa operacionalização, muitos municípios brasileiros não conseguiram fazer os recursos chegarem de forma organizada a quem de direito. Aqui em Natal, nós conseguimos distribuir quase 6 milhões de reais a 581 projetos contemplados nas chamadas públicas e outros 201 representantes dos espaços culturais, totalizando 782 projetos beneficiados.

 

Mas não se pode pensar só no apoio diante da emergência.

 

Outro desafio tem sido manter o equilibro entre a necessidade de diminuir a contaminação pelo vírus e de manter a economia funcionando. A queda da atividade foi inevitável com as medidas que precisaram ser tomadas e ainda hoje persistem. Por isso, procuramos facilitar a vida dos empreendedores adotando medidas que beneficiaram 82% do universo de contribuintes da nossa cidade, mesmo enfrentando uma forte queda de receitas com o fechamento por meses de setores como o turismo, nossa principal atividade econômica.

 

A esse esforço fiscal podemos somar a redução de 50% no ISS cobrado sobre o transporte de passageiros que nos permitiu evitar um aumento no preço das tarifas no ano passado e que decidimos estender até o final da pandemia em projeto que enviarei a esta Casa nos próximos dias também com a contrapartida de não haver aumentos de passagens enquanto durarem esses benefícios.

 

A necessidade do trabalho remoto acelerou um processo de adoção de novas ferramentas tecnológicas, que aliás vieram para ficar, especialmente na Semurb e na Secretaria de Tributação, dando mais agilidade e diminuindo a burocracia na vida dos empreendedores.

 

Nos últimos anos foram aprovadas várias leis e editados vários decretos para facilitar o licenciamento, diminuir a burocracia e dar mais agilidade na análise dos processos. O resultado desse trabalho foi um aumento de 436% na emissão de Licenças Simplificadas e de 538% nos Alvarás de Funcionamento Provisório.

 

 

Enfim, foram momentos desafiadores. Confesso que por vezes senti que poucos gestores passaram por um momento mais difícil do que este diante da pandemia e das suas consequências.

 

Mas não me acomodei e contei com uma equipe valiosa que ao meu lado soube enfrentar os desafios. Fomos para a luta e a população reconheceu nossos esforços. Se tivemos erros, muito maiores foram os acertos. Afinal como diz o aforismo do dramaturgo francês Pierre Corneille “Quem vive sem luta, triunfa sem glória”

 

 

NATAL SAUDÁVEL

 

Nós já tínhamos definido que a saúde será uma área prioritária em nossa gestão, mas nossa proposta de garantir mais investimentos em saúde ganhou celeridade e apelo com a pandemia. Posso confirmar aqui essa assertiva com dados. Embora a Constituição defina que os municípios devem investir ao menos 15% da receita corrente em Saúde, no ano passado, nós aplicamos em saúde 30% da receita corrente líquida, o dobro da obrigação legal.

 

No Hospital Municipal foi feita uma reestruturação e ele passou a contar com 24 leitos de UTI e 57 leitos clínicos, que hoje atendem aos pacientes em geral. As obras de implantação do Centro Cirúrgico foram finalizadas e os equipamentos necessários foram adquiridos, devendo iniciar os atendimentos em breve, assim que for equacionada a questão da mão de obra.

 

Ainda no momento de pico da Covid em Natal, implantamos 36 leitos no Hospital de Pescadores, mas com a diminuição do número de casos, não chegaram a ser usados com essa finalidade, e desde então servem ao atendimento a pacientes não-Covid.

 

Se a pandemia e suas consequências concentraram grande parte dos nossos esforços no ano que passou e ainda hoje nos exige uma grande atenção, nem por isso paramos ou muito menos desistimos de nossos projetos e programas em outras áreas de atuação.

 

O desafio na área da saúde foi sem dúvida o maior enfrentado no ano passado. Os atendimentos continuaram ocorrendo, paralelo aos pacientes Covid. Para se ter ideia, as Unidades de Saúde registraram 423 mil atendimentos de pacientes não Covid durante o ano. Foram quase 5 mil partos nas maternidades Arakem Pinto e Leide Morais. Foram realizadas 20.444 mamografias e 13 mil citopatógicos na Atenção Primária em Saúde em 2020 e tivemos ganhos importantes na estruturação da nossa rede de forma permanente, além dos já referidos, no Hospital dos Pescadores e no Hospital Municipal.

 

Nós implantamos o Hospital Pediátrico Nivaldo Junior, uma justíssima homenagem a um profissional que dedicou sua vida à pediatria e inclusive foi uma das vítimas da Covid.

 

Esse hospital faz parte de uma estratégia para a ampliação do atendimento de urgência e emergência pediátrica, que passou a estar disponível nas cinco UPAs de Natal 24 horas por dia, de domingo a domingo, e na Unidade Mista de Mãe Luíza, permitindo que o hospital funcione de forma regulada. Com essa reestruturação, a rede municipal ampliou de 10 para 41 o número de leitos de internação e de 17 para 22 os leitos de observação pediátrica.

 

Também construímos a Central de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos que possui agora nove câmaras frias, três freezers horizontais e 100 novas geladeiras, de uso específico para armazenamento de todos os tipos de vacinas. Uma providência que veio em ótima hora e que agora nos coloca como uma das cidades mais bem preparadas para o armazenamento e distribuição das vacinas contra o coronavírus.

 

Boa parte das ações e projetos que citei aqui foram e são executadas graças à interação que conseguimos obter entre as diversas secretarias e órgãos da administração. Essa transversalidade nas ações é uma característica muito positiva da nossa gestão. Outro exemplo disso que poderia citar aqui foi a instalação do Centro Municipal de Cidadania LGBTQ+ para atender a esse público, no qual a Semtas, Saúde e Semdes se reúnem para oferecer atendimento psicossocial especializado, interlocução com a rede de proteção e garantia de direitos, acesso a qualificação profissional e assessoria jurídica, além do trabalho do ambulatório que oferta cuidados em clínica médica, psiquiatria, psicologia, enfermagem.

 

Também estamos investindo na rede com obras significativas. Foram concluídas cinco obras em unidades de saúde, quatro estão em andamento e quatro em processo de licitação para iniciar este ano. Uma das obras em andamento é a reforma do antigo hospital Sandra Celeste, onde estamos investindo mais de 1,2 milhão de reais numa nova unidade de saúde, ampla e com capacidade redobrada.

 

Na antiga maternidade das Quintas, passou a funcionar o Laboratório Central de Natal e uma unidade básica, e ainda está em obras para uma central de esterilização que irá atender a toda a rede.

 

Para licitação este ano, temos as UBS da Vila Paraíso e Alto da Torre e também a futura sede da secretaria na Ribeira, além da construção da academia de saúde leste.

 

Ainda nesse esforço de fazer mais pela Saúde, temos o grande projeto da nossa gestão, que é a construção do Hospital Municipal de Natal ali no terreno entre a Av. Omar O’Grady e Xavantes, no bairro Pitimbu, inclusive com autorização já aprovada por esta Câmara Municipal. Esse foi um compromisso que assumimos na campanha eleitoral e que iremos buscar os recursos para viabilizar. Inclusive, no início do mês estive em Brasília com o ministro da Saúde e pelo acompanhamento que temos feito posso afirmar que o processo no governo federal está andando bem para que o projeto seja efetivado. Essa unidade hospitalar traz um novo conceito de saúde pública para Natal sobre o qual gostaria de detalhar mais no final desta mensagem.

 

 

NATAL HUMANA E INCLUSIVA

 

 

Fazer uma cidade que valorize o convívio humano, que seja inclusiva, buscando eliminar preconceitos e barreiras, é outro desafio ao qual vamos nos dedicar ainda mais. Muito já tem sido feito e temos também projetos e propostas nessa área que passo a citar aqui.

 

Embora a área social tenha se desdobrado para atender a uma demanda crescente com a pandemia, como já falei aqui, muitas outras demandas também foram atendidas. Reforçamos nosso quadro de pessoal com a convocação de 192 novos servidores efetivos entre psicólogos, pedagogos, orientadores sociais, assistentes sociais, cuidadores entre outros profissionais.

 

Reabrimos uma unidade de Cadastro Único na Ribeira, para atender os moradores da zona leste, oeste e sul; implantamos o Programa Primeira Infância com a contratação de 44 servidores. Esse programa atende gestantes e crianças de até 3 anos que recebem o Bolsa Família e de 3 a 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada, com o propósito de fortalecer os vínculos familiares e o desenvolvimento integral das crianças.

 

Abrimos também a Central de Interpretação de Libras para atender a população surda de Natal com um serviço gratuito de acompanhamento de interprete em Libras em determinadas ocasiões; Adquirimos dois micro-ônibus adaptados para atender pessoas com deficiência no serviço especializado; Assinamos o Termo de Adesão para a implantação do Escritório Social em parceria com o Conselho Nacional de Justiça para desenvolver ações para atender pessoas egressas do sistema prisional; Inauguramos a nova sede do Creas Sul, em Lagoa Nova, melhor localizada para atender a população moradora de toda a Zona Sul, já que antes funcionava em Ponta Negra.

 

A pandemia praticamente paralisou a área de formação profissional devido à necessidade de evitar aglomerações em ambientes fechados. Mesmo assim, os Centros Públicos de Emprego e Renda fizeram mais de 19 mil atendimentos na intermediação de mão de obra e outras 5.819 requisições de seguro-desemprego.

 

Para que haja inclusão e se permita o convívio das pessoas, uma área é fundamental, que é a segurança pública. Embora constitucionalmente essa seja uma tarefa de responsabilidade dos governos estaduais, quero dizer que dos 26 milhões aplicados nessa rubrica no ano passado, 100% foram recursos do tesouro municipal. Podemos ter orgulho da nossa guarda municipal que, mesmo com um efetivo reduzido, tem se desdobrado e feito um trabalho fundamental ainda mais nesse período da pandemia. A guarda está presente nas fiscalizações que temos feito, na distribuição de máscaras, na segurança nos centros Covid, na distribuição de vacinas, além é claro do desempenho normal de suas atividades.

 

No ano passado, foram feitos investimentos na reestruturação da Guarda Municipal com a compra de novos armamentos e munições. Entregamos cinco viaturas novas. O resultado desse investimento foi o atendimento em 2020 de 2.750 ocorrências registradas no Ciosp com o qual nossa guarda trabalha de forma integrada, auxiliando na segurança pública da capital dentro das suas atribuições.

 

O investimento mais importante, no entanto, foi na valorização desses guardas. Nós garantimos os EPIs para o trabalho durante a pandemia e aprovamos, aqui mesmo nesta Casa, o Plano de Cargos que há quase 30 anos era uma reivindicação da categoria, além de oferecer diversos cursos e treinamento para os interessados.

 

Às Rondas Escolares, de Proteção Ambiental e da Saúde, que há alguns anos prestam um trabalho fundamental na segurança das escolas e unidades de saúde e na proteção do meio ambiente, nós acrescemos a Patrulha Maria da Penha, após sanção de uma lei da vereadora Julia Arruda, aprovada aqui na Câmara Municipal. Ela atua no apoio e orientação no enfrentamento à violência contra a mulher. A Patrulha Maria da Penha já capacitou 80 agentes. Ao todo, foram realizadas 2.800 ações relacionadas ao programa de proteção à mulher vítima de violência. Dentre elas, 943 patrulhamentos, 282 visitas domiciliares e 10 prisões em flagrante.

Gostaria de destacar que entre as mulheres atendidas pelo programa, nenhum feminicídio foi registrado durante o ano de 2020.

 

Uma cidade inclusiva precisa pensar também na Educação. Esse foi um dos setores que mais sofreram com a pandemia e muito preocupa o reflexo da suspensão das aulas. Mesmo sem aulas, aplicamos quase 27% das receitas liquidas de impostos em Educação no ano de 2020.

 

Investimos na construção e melhoria da rede física, na oferta de aulas à distância pela televisão e internet, e principalmente na valorização dos professores. Em 2020, implantamos benefícios para professores e educadores infantis, que estavam represados com um impacto financeiro em três meses que totalizou quase 18 milhões de reais. Foi pago ainda na folha de dezembro o abono salarial beneficiando mais de 3 mil e quinhentos professores. Cada um recebeu entre R$ 3.136,00 para quem tem 20 horas até R$ 6.272,00 para os de 40 horas. Foram mais quase 12 milhões de reais pagos a esses profissionais.

 

Nós concluímos a construção do Centro de Educação Infantil Marluce Carlos de Melo, em Nordelândia, que passa a ter capacidade para atender a 156 crianças, um aumento de 16% em relação à capacidade registrada no prédio onde funcionava anteriormente, num investimento próprio superior a 2 milhões de reais.

 

Além disso, em 2020 foram reformadas 3 unidades de ensino e atualmente estão em construção outras 10, sendo duas escolas de ensino fundamental e oito centros de educação infantil e outras 14 escolas estão em reforma e ampliação.

 

Nosso desafio neste ano é a volta às aulas. O prejuízo que milhares de crianças e jovens estão sofrendo no Brasil todo por não terem como estudar irá se refletir pelos anos vindouros. É preciso que todos tenhamos essa consciência e estejamos solidários com o futuro dessas crianças.

 

A prefeitura adquiriu equipamentos de proteção para quando os índices de transmissibilidade permitirem o retorno presencial das atividades escolares com segurança para alunos e professores. Foram investidos 3,5 milhões de reais na aquisição de kits de higiene, máscaras, gel higienizador para mãos, toalhas de rosto, e protetor facial a serem distribuídos com os alunos. Também foram adquiridos totens de lavatórios, de álcool em gel adulto e infantil em um investimento de outros 500 mil reais. Construímos com os conselhos escolares um protocolo de retorno às aulas. De forma não presencial, iremos retomar dia 18 de fevereiro e no próximo mês queremos fazer o retorno de maneira híbrida a depender ainda da evolução da pandemia.

 

Uma cidade mais humana e mais inclusiva é aquela que a sua população utiliza os equipamentos urbanos.

 

Por isso, desde o início da nossa gestão, adotamos a prática de recuperar e requalificar os espaços públicos. Praças, quadras, campos de futebol, escolas, áreas de lazer, ruas e avenidas têm passado por melhorias e o incentivo à ocupação desses espaços pela população.

Em 2020, mesmo com a pandemia e o desestímulo à convivência em grupos, essa continuou sendo uma prática nossa. Foram 32 praças e logradouros públicos que passaram por reforma e recuperação no âmbito da Semsur. Isso implicou num investimento de 7 milhões de reais, que se somam a um milhão de reais investidos na instalação de 37 academias ao ar livre, boa parte delas por solicitação dos senhores vereadores, em diversas praças e equipamentos públicos.

Outros 36 equipamentos esportivos passaram por obras de recuperação e melhorias no ano passado. Inauguramos a Estação Ponta Negra de Esportes de Areia com nove campos e quadras que podem ser modulados para diversas modalidades esportivas de areia, como vôlei, futebol e tênis. Investimos no gramado e sistema de irrigação nos campos de Nazaré e Felipe Camarão e nos vestiários do campo das Rocas. Construímos a cobertura da quadra na Praça Augusto Leite, no Tirol e agora em fevereiro concluímos o Skate Park na praça Henrique Carloni, em Ponta Negra. A primeira do gênero para os skatistas da cidade.

Também entregamos uma grande obra feita em parceria com o governo federal: a Estação Cidadania, que batizamos em homenagem ao grande esportista Jorge Moura, no Nova Natal. O complexo é uma das maiores estruturas esportivas da cidade e irá promover a iniciação de muitas crianças e jovens no esporte. O projeto contempla até 20 modalidades para 1.500 crianças e conta com um ginásio poliesportivo com quadra coberta externa e toda a estrutura adaptada para receber paratletas.

Vamos seguir investindo em equipamentos públicos para a prática de esportes porque, além de se enquadrar no nosso propósito de ter uma cidade mais inclusiva, também implica em melhor e mais saúde para os praticantes de atividades físicas. Temos planos de fazer mais dois skates parks e outras 20 coberturas em quadras durante este mandato e manter o trabalho de recuperação dos equipamentos esportivos existentes.

Outras áreas públicas passaram por reformas e melhorias como os Mercados das Rocas, da 6, do Peixe, da Redinha e o Mercado do fogo que somaram mais 2 milhões em investimentos.

Temos mais dois projetos em andamento que iremos concluir este ano e se enquadram dentro dessa proposta de fazer uma cidade mais inclusiva. Um é a total requalificação do Bosque das Mangueiras, que passa a ter um espaço para fomentar a agricultura urbana em Natal, beneficiando produtores de hortifrutis orgânicos das comunidades de Gramorezinho e Planalto. No momento, está sendo feita a troca do piso para prática de caminhadas e uma nova iluminação que será instalada, dando vida nova àquele espaço tão pouco utilizado até então.

Um investimento grande em melhoria da iluminação pública está sendo feito. Começando pelos corredores turísticos. Já estamos investindo 4,8 milhões de reais na instalação de nova posteação com lâmpadas de led na Roberto Freire e na orla que vai de Ponta Negra à Redinha. Significa mais eficiência na luminosidade e diminuição do consumo. Outros 4,7 milhões foi o total que gastamos com a manutenção da iluminação pública. Nosso projeto é estender paulatinamente esse projeto de eficientização a toda a cidade, dentro dos projetos específicos de melhoria de áreas degradadas.

Na STTU, foi criado um Plano Setorial de Trabalho que implicou na manutenção e revitalização da sinalização, além da operacionalização do Centro de Monitoramento Eletrônico e a realização permanente de campanhas educativas. Essas ações nos permitiram reduzir em 52% os índices de mortes no trânsito.

Mantivemos os investimentos em diversos projetos, alguns deles de forma integrada com outras secretarias. Só com a fonte de recursos da STTU foram mais de 13 milhões de reais em investimentos. Boa parte deles na aplicação de asfalto de ruas e avenidas, instalação de lombadas, manutenção semafórica, acertos viários, reforma do terminal de integração do Soledade, implantação de sinalização vertical e horizontal e implantação de ciclovias e ciclofaixas, que continuamos expandindo, pois se enquadram na proposta de fazer uma cidade mais humana e inclusiva. Hoje temos mais de 80 quilômetros de faixas para ciclistas já implantados.

Na área habitacional, entregamos mais um condomínio do Village de Prata. Foram 224 apartamentos do Noilde Ramalho. Ao todo já são 1.568 unidades habitacionais entregues nesse grande empreendimento e ainda este ano iremos entregar mais 224 apartamentos, concluindo esse projeto. Entregamos ainda mais de 3 mil títulos de regularização fundiária no bairro de Nossa Senhora da Apresentação. E temos muitos mais para entregar este ano, como os senhores poderão acompanhar nos relatórios anexos que lhes serão encaminhados.

 

  1. inclusão que queremos passará muito pela atuação da secretaria de Igualdade Racial, Direitos Humanos, Minorias e Portadores de Necessidades Especiais. Caberá a essa pasta uma atuação que busque integrar as ações das diversas estruturas municipais na formatação de políticas públicas de combate ao racismo, à discriminação de grupos étnicos minoritários, a xenofobia, o preconceito sexual, enfim, integrar os grupos minoritários em sociedade para uma cidade mais justa com efetivo respeito e resgate histórico das injustiças praticadas por séculos.

NATAL MODERNA E DESENVOLVIMENTISTA

Minhas senhoras e meus senhores,

Esta é uma gestão de continuidade, não de continuísmo. De terminar tudo o que foi iniciado, evitando desperdício de recursos públicos, mas sem perder a capacidade de sonhar e mais do que isso de realizar mais e mais.

 

Como vice-prefeito, assumi a Prefeitura em abril de 2018, sucedendo uma administração muito bem avaliada. Peguei a administração com o país saindo de uma recessão, com mudança na administração federal, um Estado com grandes dificuldades financeiras e ainda tive que enfrentar a pandemia.

 

Mas hoje posso dizer que conseguimos enfrentar com coragem e criatividade todo esse período. Aos descrentes, oferecemos mais e mais trabalho e terminamos o ano de 2020 com mais de 65% de aprovação popular.

Graças à generosidade dos natalenses, os que aqui nasceram e os que adotaram esta terra para morar, vencemos uma eleição em primeiro turno, mesmo disputando contra 13 candidatos. Desde a vitória, temos nos debruçado em traçar as estratégias para concluir os projetos em andamento e para tirar do papel outros tantos que apresentamos durante a campanha eleitoral dentro do nosso Plano de Governo.

O aforismo do urbanista dinamarquês Jan Gehl quando diz “Primeiro modelamos as cidades e então elas nos modelam”, serve de mote para o plano que foi apresentado aos natalenses. Como já disse aqui, nosso norte é fazer de Natal uma cidade que seja mais saudável, inclusiva, humana e desenvolvimentista, capaz de atrair investimentos e gerar empregos. Essa é uma tarefa que depende da união da sociedade e do poder público, e acima de tudo da adesão da população.

 

Para isso, teríamos que convencer as pessoas a se engajarem nessa proposta. Foi daí que surgiram iniciativas como a busca da transformação do Alecrim e do Centro da Cidade. A esses dois projetos queremos agora incluir o bairro da Ribeira, criando um corredor que aproveite toda a infraestrutura já instalada nesses locais para revitalizar o berço e a história de Natal.

 

Irei abordar os três projetos aqui porque na verdade eles correm em paralelo, mas se complementam, um apoiando o outro na busca do resultado final.

 

No Alecrim, nós iniciamos com a recuperação da praça Gentil Ferreira, no coração do bairro. Foi totalmente remodelada, com novo paisagismo, iluminação, bancos, calçadas, e principalmente segurança. Instalamos na praça uma base fixa da Guarda Municipal que funciona 24 horas por dia. Hoje, dá gosto passar lá à noite e ver as pessoas caminhando e usufruindo daquele espaço público. Também incluímos diversas ruas do bairro no programa de recapeamento, instalamos equipamentos públicos e estamos iniciando a obra de recuperação do teatro Sandoval Wanderley. Para um bairro ter vida é preciso que tenha movimentação. O Alecrim já tem durante o dia um comércio vibrante e competitivo. Queremos com equipamentos públicos como esses dar uma nova vida também à noite e estamos somando esforços em diversas iniciativas capitaneadas pela AEBA, seja na área cultural, seja de fortalecimento institucional do bairro.

 

Temos tido um retorno bastante positivo tanto por parte dos comerciantes como dos moradores que sentem as mudanças acontecendo. Neste mandato, vamos executar a reforma do teatro e ampliar os trabalhos de zeladoria e de melhoria na malha viária do Alecrim e queremos concluir a licitação do estacionamento rotativo em toda a área central da cidade. Esse é um problema que podemos resolver dessa forma, facilitando o acesso das pessoas que enfrentam dificuldades para encontrar vagas no comércio local.

 

 

Descendo até a Cidade Alta, já temos várias iniciativas exitosas. Poderia citar o Beco da Lama, primeiro local a receber uma intervenção da nossa gestão. Nós incentivamos o grafite e o beco se transformou numa galeria a céu aberto, virou palco de inúmeras manifestações culturais e muito movimento econômico. A pandemia obrigou a um recuo nos eventos organizados naquele espaço, assim como os que vinham acontecendo no Espaço Ruy Pereira, outra obra que executamos e que, além do uso do grafite, implicou na melhoria de toda a infraestrutura, passando pela modificação do pavimento, drenagem, rede elétrica e de telecomunicação que passou a ser toda subterrânea, iluminação especial e cobertura. Mas tão logo tenhamos condições sanitárias voltaremos a apoiar apresentações artísticas e manifestações culturais nesses dois espaços.

 

O uso da arte urbana como indutora da recuperação de espaços púbicos é uma experiência que tem dado muito certo. Foram 45 intervenções artísticas realizadas em diferentes locais da cidade, entre elas o espaço K-Ximbinho, também na Cidade Alta, e na escadaria de Mãe Luiza.

 

Ainda este ano, vamos iniciar uma nova intervenção no Beco da Lama com a eliminação da fiação área, nova iluminação, novo piso, e paisagismo, num investimento de 750 mil reais.

 

Também vamos iniciar a obra de recuperação das calçadas da avenida Rio Branco. A principal avenida do centro da cidade vai ganhar calçadas novas, totalmente acessíveis, com arborização, bancos e lixeiras. Implantaremos também uma ciclovia/ciclo­faixa. E em breve iremos mandar para licitação o projeto da rua João Pessoa, criando um grande boulevard, ligando a Catedral Metropolitana à antiga catedral, na praça na Praça André de Albuquerque. Também lá com espaços para as pessoas se reunirem, calçadão, nova iluminação e fiação subterrânea. Enfim, são iniciativas que se somam no trabalho de revitalização do centro.

 

Tivemos as primeiras reuniões com o Iphan e com a Universidade Federal para tentar viabilizar o projeto da Ribeira que foi ganhador do prêmio Urbanlab, no Banco Interamericano de Desenvolvimento. Nosso propósito é viabilizar que o bairro volte a ter moradias, como aliás já acontece onde era a antiga Marpas, ao mesmo tempo em que se recuperam os prédios históricos que possam ser preservados e se leva pessoas para frequentarem o bairro. Já demos um passo ao obter junto ao Patrimônio da União o prédio do antigo INSS, cuja reforma está em processo de licitação para que levemos para lá a sede da Secretaria Municipal de Saúde. Temos outros prédios no bairro que queremos obter em concessão para levar outros órgãos públicos, dando vida e levando movimentação econômica à Ribeira.

 

Nossa proposta é apostar na economia criativa como mola propulsora da retomada da Ribeira. Queremos criar ali um polo para esse setor que vai além das expressões culturais e engloba desde a moda até o desenvolvimento de aplicativos e games.

 

Esse corredor é um sonho que irá sendo construído aos poucos e para o qual queremos chamar os empresários da nossa cidade para também investirem na recuperação de seus imóveis, dando um ar mais agradável e chamativo para moradores e consumidores.

 

Queremos que os investimentos públicos nesses três bairros centrais impliquem na atração de investimentos privados. Se há público, se há circulação de pessoas, há interesse para os comerciantes investirem.

Um bom exemplo é a rua Praia de Ponta Negra, aquela paralela à av. Roberto Freire. Estamos fazendo uma intervenção no local, com calçadão, iluminação, estacionamento, paisagismo, ciclovia e uma parceria forte com os empresários locais. Resultado: ao menos seis novos empreendimentos já se instalaram no local e há uma procura de empreendedores da área da gastronomia também querendo se instalar na área, o que significa dizer geração de emprego e trabalho.

Além de ser uma área de lazer a mais para os natalenses, essa intervenção na rua tem atraído os turistas que tantas vezes reclamavam da falta de opções na vida noturna. Quando a pandemia passar e pudermos voltar a investir em eventos de massa, tenho certeza de que teremos um impulso muito grande no turismo. Nossa gestão investiu mais de 35 milhões de reais na cultura desde que assumi. A economia criativa e o turismo andam de braços dados na vocação inegável de Natal. Mesmo com todas as restrições a viagens, nossa cidade continua sendo um dos destinos mais procurados. Pude sentir isso de perto quando fui a Holanda, de onde trouxemos um voo que chegou a trazer mais de 3 mil passageiros a Natal na temporada 2019-2020.

Nessa linha, estamos com dois grandes projetos que irão dar uma grande contribuição ao turismo em Natal: a engorda de Ponta Negra, que irá ampliar em 30 metros a faixa de areia e permitir novas intervenções urbanas, e o Terminal Turístico da Redinha, com novo acesso a praia, um novo mercado, um píer e centro de artesanato. Essas duas obras irão possibilitar intervenções urbanas que melhorarão muito o aspecto dessas duas praias e atrairão investimentos privados para gerar mais empregos e renda na cidade.

 

Outras obras de grande porte que queremos entregar nos próximos meses são o túnel de macrodrenagem, acabando com diversos pontos de alagamento, como fizemos com o túnel das proximidades da rua São José, tradicional ponto de alagamento que agora não enfrenta esse problema, e o saneamento integrado da Zona Norte. Um investimento de 130 milhões de reais em 334 ruas que recebem drenagem e calçamento. Já chegamos a 90% de execução dessa obra e em breve iremos concluir todo o serviço.

 

Iremos concluir também o projeto do bairro Planalto. São 20 milhões de investimento na construção de lagoa de captação e na drenagem das principais ruas do bairro, uma área de expansão da cidade que precisa de melhor infraestrutura.

 

Mais uma obra de grande porte e muito esperada pelos natalenses que iremos fazer é a recuperação da avenida Felizardo Moura. Não será apenas um novo asfalto. Iremos refazer as bases da avenida antes de aplicar o asfalto, implantar ciclovia, iluminação e novos passeios e uma terceira faixa reversível, conforme o horário de maior tráfego. Os projetos estão sendo contratados agora e queremos começar esta obra até meados do ano.

 

A esta obra se soma o trabalho que temos feito na recuperação asfáltica de importantes ruas e avenidas no centro da cidade, Alecrim e Zona Norte. Poderia citar aqui a Rio Branco, Deodoro, Ulisses Caldas, Hermes da Fonseca/Salgado Filho, Prudente de Morais, Rui Barbosa, Antônio Basílio, entre outras. Outras avenidas serão contempladas neste mandato, à medida que formos obtendo mais recursos para esse serviço. São obras que já geram empregos durante sua realização e depois de concluídas também servem para melhorar o trânsito e a vida das pessoas, valorizando imóveis e, portanto, gerando riquezas na cidade.

 

Por fim, gostaria de citar duas grandes obras que queremos e iremos fazer em Natal. Uma é um novo mirante na Pedra do Rosário. Um projeto que visa associar o turismo religioso com um local de atração turística permanente. Será um espaço agradável de contemplação do pôr do sol, com espaço gastronômico, jardim, banheiros, passarela, capela, museu e mirante, com todas as condições de acesso, segurança e conforto. É ao mesmo tempo a valorização de um espaço histórico que se soma à proposta de revitalização da Ribeira/Cidade Alta. Vamos atrás de recursos federais para essa grande obra que além de servir para os natalenses, tem tudo para se transformar em um novo ponto turístico e em mais um diferencial para nossa cidade em relação a outras capitais do Nordeste.

 

A outra obra é o Hospital Municipal, sobre o qual já falei aqui. Já temos o terreno em frente à UPA do Satélite, onde será construída essa nova unidade para atender os serviços de urgência, maternidade, ortopedia e pediatria, com o dobro da capacidade do atual e em prédio próprio. Nosso projeto contempla a possiblidade de ampliação, mas a princípio será um hospital com 220 leitos, sendo 30 de UTI. O novo hospital vai oferecer atendimentos referenciados para internação hospitalar e cirurgias programadas; atendimento de urgência 24h a pacientes com traumas ortopédicos; e atendimentos ginecológicos e obstétricos. Além disso, irá contar com um centro de diagnóstico por imagem moderno e uma central de esterilização com suporte para toda a rede e um centro de formação de profissionais da saúde. Por isso digo que será um novo conceito de saúde pública em Natal.

 

É um sonho que irei buscar concretizar obstinadamente. Para isso, já apresentamos o projeto básico ao Ministério da Saúde e estamos em contato com a bancada federal para juntar os esforços e viabilizar os recursos para sua execução. Acreditem, senhoras e senhores, esse sonho irá se tornar realidade.

 

Senhoras Vereadores, senhores vereadores,

 

Nós temos a oportunidade de devolver a Natal o dinamismo econômico que nossa cidade já teve. Sou uma pessoa resoluta. Não abri, nem abrirei mão dos meus propósitos já anunciados mais de uma vez de fazer valer a lei e reformular o Plano Diretor de Natal. A última modificação foi aprovada em 2007, já lá se vão quase 14 anos. O próprio Estatuto das Cidades prevê a revisão a cada 10 anos. Já passou do tempo de revermos essa legislação, afinal a cidade é um organismo vivo e precisa se adaptar às mudanças do tempo e das tecnologias. Não podemos mais continuar permitindo que os investimentos que poderiam vir para cá sejam destinados a municípios vizinhos por total inação.

 

Preparamos uma minuta de proposta com as modificações sugeridas, debatidas, discutidas em 6 audiências públicas, 3 seminários, 14 oficinas, com a participação de 3 mil pessoas e 2.500 contribuições apresentadas. É sem dúvida o projeto mais democrático e participativo já visto nesta cidade. Teremos agora a Conferência das Cidades, que irá votar a proposta final a ser encaminhada a esta Casa, ainda no mês de março, onde deverá passar por novos debates antes da votação final.

 

É um processo longo, demorado, muitas vezes além do tempo em que gostaríamos de concluir, mas é melhor que assim seja. Não se há de falar em falta de divulgação das reuniões, todas transmitidas ao vivo pela internet, como também aqui serão pela TV Câmara, o importante é que ao fim e ao cabo de todo esse trabalho Natal ganhe uma legislação capaz de dar segurança jurídica aos que buscam investir e possa voltar a crescer de forma a garantir mais empregos e renda para a maioria.

 

Minhas senhoras, meus senhores

 

Fiz aqui uma síntese do muito que conseguimos realizar no ano passado e projetamos de forma concreta os planos que temos para os próximos quatro anos. São projetos de grande porte que em sua maioria não se concretizam no período de apenas 12 meses. Irão se estender por boa parte da administração e, se Deus quiser, terei o prazer de voltar aqui no próximo ano para prestar contas de como está o andamento de cada um deles.

 

Temos muito trabalho pela frente e sei que posso contar com o apoio desta Casa para levarmos adiante essas propostas que foram apresentadas na campanha eleitoral recente e aprovadas pela grande maioria da nossa gente.

 

Minhas senhoras e meus senhores.

 

A verdadeira ideologia é expressar o amor por uma cidade trabalhando por ela. E minha ideologia neste mandato será fazer Natal ainda melhor. Cada amanhecer ao longo desses 4 anos trará um novo estímulo, uma motivação renovada para realizar por todos e fazer Natal avançar.

 

Dei provas a Natal de minha conduta coerente. Mais de que um princípio, uma demonstração de firmeza a cada luta que se apresenta para vencermos juntos. Declaro minha confiança nos nossos auxiliares, escolhidos por eficiência, correção e lealdade. Mas afirmo, com a máxima e habitual serenidade: seremos trabalho, dinamismo, agilidade, criatividade, idealismo, que resumem competência.

 

O ritmo será o ritmo do prefeito e a exemplo do tempo de mandato, será tempo dobrado, sendo incompatíveis a leniência, o descaso, o mau tratamento ao povo. A soberba, precede a ruína. Natal nos aprovou no voto democrático, porém Natal tem demandas inadiáveis a serem resolvidas que nosso mandato deverá solucionar. A vida só vale quando há razão de ser e Natal é a nossa missão, nossa terra, nosso desafio.

 

Peço a todos que atentem ao que digo agora: nenhuma gestão será vitoriosa sem a capacidade de enxergar Natal com uma visão humana. Avançar é sinônimo de coragem. Retroceder é a covardia do medo. Não vou retroceder. Vamos avançar.

 

O meu mandato terá por definição o zelo pelos bairros de Natal, sem discriminação, perseguindo a visionária imagem da igualdade numa terra que entre os sinônimos, destacam-se o ser amor, o ser igual e a união de todas as camadas numa meta inflexível chamada trabalho.

 

Cumprimos etapas, desde a incontestável vitória que não contaminou de vaidade o meu coração nem a minha maneira de agir. Nossa ação será outro ponto inegociável. Tenhamos todos, prefeito, secretários e equipe, a consciência da luta árdua e dinâmica para construção daquela Natal que sonhamos juntos, edificando um tempo novo, um tempo melhor e mais justo.


Natal, encantadora. Minha motivação. Sentindo o afago dos seus ventos inspiradores, recebendo a energia do seu calor, que aqui é natureza e acolhimento, parceiro de sua gente formada do tecido forte da obstinação e compreendendo a infinita vastidão de sua cultura.

Cada amanhecer ao longo destes quatro anos trará um novo estímulo, uma motivação renovada para realizar por todos, em especial pelos mais humildes;

É o que dizia um poeta falecido e esquecido, Bosco Lopes, boêmio, lírico e amante da cidade. “Nós só temos a dimensão da importância de Natal e do amor por ela, quando dela estamos longe. Longe, amamos com o coração pedindo para voltar. Só Natal seduz assim.”

Senhoras vereadoras,
Senhores vereadores,

No meu pensamento agora, tomado pela emoção, cumpro o trajeto sentimental pela Redinha, pela Fortaleza dos Reis Magos, nossa cidadela, pela imponência do Farol de Mãe Luíza e sua alvissareira vigilância, pelo Morro do Careca e por Ponta Negra, epicentro do turismo na cidade.

No percurso pela efervescência do Alecrim. Nas raízes telúricas do Beco da Lama e seus personagens compostos de humanidade e irreverência. Pelas suaves águas do Rio Potengi, observador silencioso de Natal, no seu encontro, quase imperceptível, com o mar da Redinha.

Na Inspiração do canto de amor dos poetas, do timbre afinado dos nossos músicos, da criação incessante de nossos artistas plásticos e grafiteiros. Sem esquecer das sábias palavras de nossos escritores.

É o jardim humano da cidade em permanente florescer.

É legítima nossa fé em Natal, no seu povo, na sua valorosa história. Agradeço a Deus por me tornar intérprete e condutor de um destino feliz e justo para a cidade que vivemos, defendemos e reverenciamos. E que iremos tornar mais humana e estruturada.


Tenho um compromisso de sentimento e homenagem com aquele que seria, se aqui estivesse, o mais feliz entre todos: o meu pai, Adjuto Dias, seridoense, minha inspiração e minha saudade.

A ausência dele nesses momentos sempre me traz recordações afetivas. Tenho comigo, minha esposa, Amanda, meus filhos, meus irmãos, o povo de Natal e do Seridó, onde estão minhas raízes e minha origem.

De alma renovada e determinado em minhas convicções, garanto a Natal que faremos dessa cidade, com seu por do sol místico no Rio Potengí, estimulado pela jornada de Gaspar, Belchior e Baltazar, os Três Reis Magos na anunciação do Menino Jesus, que vamos modernizá-la, vamos avançar e vamos deixá-la sempre assim, como “A noiva do Sol”, com a inegável beleza telúrica de suas praias, bem dita na prece do grande Câmara Cascudo.

A Natal, minhas mãos e meus pensamentos na marcha que cumpriremos unidos e firmes, no sonho possível de fazer a história que vamos continuar construindo.



Que Deus Nos Abençoe a Todos!

 

Muito obrigado!

Anterior:
Próximo:

Logo da Prefeitura de Natal
R. Ulisses Caldas, 81 - Cidade Alta, Natal - RN, 59025-090 - Ouvidoria Geral (84)3232-6389